Estresse Nosso de Cada Dia

Caro leitor,

Esta semana, o Blog 7em1 aborda um tema que custa caro, não só a mim, mas a todos os brasileiros: o estresse. E quem vai falar do assunto é o psicólogo Lucio Emmanuel Novais, diretor da Associação Brasileira de Stress (ABS), que promove o diagnóstico, controle e prevenção do estresse em crianças, adolescentes e adultos.  Na entrevista, você fica sabendo o que fazer para evitar e tratar o estresse, e também quem são os mais afetados por este mal.

Blog 7em1: O estresse pode ser considerado uma doença? Quais são os principais sintomas?

Lucio Emmanuel: O estresse não é uma doença, mas sim uma complexa reação psicofisiológica que nasce da necessidade do organismo lidar com algo que, de um modo ou de outro, o irrite, amedronte, excite ou confunda. E até mesmo que o faça imensamente feliz. Os sintomas mais comuns são: dores de cabeça constantes, ansiedade, depressão, tensão muscular, dores de estômago, gastrite, hipertensão, taquicardia, aftas, queda de produtividade, confusão mental, apatia, desânimo e dificuldade de concentração.

Blog 7em1: Quais são os fatores responsáveis pelo aparecimento do estresse?

Lucio Emmanuel: Uma das razões para o estresse é a procura excessiva pela realização de projetos, às vezes muito grandes, e que vão além da possibilidade pessoal de serem desenvolvidos, em que os limites não são respeitados ou observados. Como fontes externas, é possível citar: acontecimentos do dia a dia, perda de emprego, violência doméstica, violência urbana, brigas de família ou no trabalho. Já as fontes internas dizem respeito à maneira como interpretamos as situações, como querer ser aprovado em tudo que faz, achar que só sua verdade é a que conta, fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo, agir sempre correndo ou como se estivesse competindo, achar que só o seu jeito de fazer as coisas é o correto, comer, falar e andar rápido demais. Tudo isso provoca estresse.

Blog 7em1: Uma pessoa estressada tem consciência de seu estado? Quando ela deve procurar ajuda médica?

Lucio Emmanuel: Nem sempre a pessoa com estresse excessivo tem consciência de seu estado. Se você já teve alguma manifestação física desencadeada por um estresse muito grande ou pela somatória de muitos fatores estressantes, mas constantes; seu tratamento necessariamente deverá ser feito por um psicólogo especialista em estresse e por um médico especialista na área afetada. Lembre-se: tratar só a doença física sem aprender a lidar com o estresse não vai ser eficaz por muito tempo, ao mesmo tempo em que tratar apenas a causa do estresse não vai ser suficiente para curar uma doença física já estabelecida.

Blog 7em1: O estresse afeta igualmente homens e mulheres?

Lucio Emmanuel: Uma pesquisa realizada em São Paulo com 2.000 pessoas revelou que 32% dos entrevistados apresentavam estresse excessivo, sendo que 13% eram homens e 19% eram mulheres. Portanto, as mulheres apresentam mais estresse do que os homens. E existem três hipóteses para isso:

1. Hipótese biológica: maior sensibilidade ao estresse devido aos hormônios femininos;

2. Hipótese emocional: talvez os homens inibam mais as emoções ou relatem menos os sintomas;

3. Hipótese social: o modo como se ‘aprende’ a ser menina e que depois se intensifica com as pressões sociais, pois se espera que elas sejam mãe e filha amorosas, esposas e mulheres exemplares.

Sem contar que as características masculinas são mais valorizadas. Você já viu algum super-herói com características femininas? Não há, mesmo as heroínas têm características masculinas. Repare, por exemplo, como a Shirra é forte, bruta… São características masculinas. Outro ponto é a diferença salarial: as mulheres normalmente ganham menos do que os homens para desempenhar a mesma função e, por isso, encaram tripla jornada de trabalho – trabalham como os homens, fazem as tarefas de lar e ainda levam serviço para casa.

Blog 7em1: O estresse também atinge as crianças? De que maneira?

Lucio Emmanuel: Sim, porém o estresse infantil não é muito conhecido e há com poucas pesquisas sobre o assunto. No entanto, a partir de estudos desenvolvidos pela PUC-Campinas, verificou-se que toda criança, inevitavelmente, vai enfrentar inúmeras situações de estresse ainda nos primeiros anos de vida, tais como hospitalizações, acidentes, doenças, nascimento de irmãos, mudanças de casa, de escola ou de empregada; além das tensões geradas pela necessidade constante de autocontrole.

Blog 7em1: No geral, o que as pesquisas revelam sobre o estresse na população brasileira?

Lucio Emmanuel: No Brasil, as populações mais estressadas são: médicos, juízes, policiais, bombeiros que trabalham com resgate e jornalistas que trabalham externamente. Estes últimos somam 70% com estresse excessivo.

Blog 7em1: Quando não tratado, o estresse pode estimular o aparecimento de outras doenças?

Lucio Emmanuel: O estresse em si não causa doenças, mas quando não é tratado enfraquece o organismo, possibilitando o aparecimento delas.

Blog 7em1: E quala relação entre estresse e depressão?

Lucio Emmanuel: Funciona como um ciclo: a vida moderna, com seu ritmo acelerado, leva ao estresse. O estresse, por sua vez, quando não tratado leva à depressão.

Blog 7em1: É verdade que pessoas estressadas envelhecem mais rápido?

Lucio Emmanuel: Sim, não há como negar que o estresse, quando excessivo, colabora com o envelhecimento precoce. Estudos mostram que as pessoas com este problema tendem a andar de uma maneira mais curva, perdem o brilho dos cabelos, os olhos e a pele ficam mais opacos e sem elasticidade, provocando linhas de expressão.

Blog 7em1: E o que as pessoas podem fazer para minimizar os efeitos do estresse?

Lucio Emmanuel: No Centro Psicológico do Controle do Estresse trabalhamos quatro pilares para combater o estresse:

Alimentação anti-estresse – deve ser rica em legumes, verduras e frutas. Coma pouco sal e gordura, chocolate, café e refrigerantes.

Relaxamento – quando relaxamos o nosso corpo e mente, aumentamos as chances de nos livrarmos das tensões acumuladas e de nos prepararmos para novos desafios. Além disso, todo ser humano precisa de pelo menos meia hora por dia para relaxar.

Exercício físico – Sugerimos caminhadas de trinta minutos pelo menos três vezes por semana. Mas é importante consultar o seu médico antes de começar a se exercitar.

Estabilidade Emocional – Tente pensar de modo positivo, vendo o lado bom das coisas. Se algo o incomoda, procure falar sobre o assunto. Se alguém o magoar, converse calmamente com a pessoa sobre seus sentimentos. Não se preocupe com problemas sem importância e reflita sobre o fato de que, na verdade, poucas coisas importam tanto a ponto de merecerem toda a sua preocupação e sacrifício. Não assuma mais responsabilidades do que pode dar conta, aprenda a dizer ‘não’ e entenda que todo problema tem fim, pois nada ruim dura para sempre.

Blog 7em1: O que fazer para prevenir o estresse?

Lucio Emmanuel: Mantenha um estilo de vida saudável, dentro dos seus limites;

valorize apenas o que é importante para sua vida; reserve tempo suficiente para realizar seus projetos; organize sua agenda; pense calmamente no que vai fazer durante aquele dia. Lembre-se que a essência da vida é SER e não FAZER. Faça algum tipo de relaxamento e, quando se se sentir afobado, pergunte-se: “Que importância esta atividade vai ter daqui a um ano?”.

E você, já descobriu a razão do seu estresse e o que pretende fazer a respeito? Conte para mim nos comentários.

Anúncios

5 thoughts on “Estresse Nosso de Cada Dia

  1. SESSÃO DESABAFO

    Só agora entendi porque me tornei uma pessoa estressada:
    1) sou mulher;
    2) jornalista formada;
    3) capricorniana nata (estou sempre competindo comigo msm);
    4) sedentária;
    5) chocólatra;
    6) nunca tenho 30 minutinhos só pra mim;
    7) descobri que todos os motivos anteriores ajudam a envelhecer mais rápido.

    TECLA SAP: Eu estou em criiiiiiiiiiiiiiiiiise!!!!!! kkkkkkkk

  2. Entrevista brilhante! Acho que não temos noção do quanto o estresse pode prejudicar nossa saúde, inclusive a física. É importante reconhecermos nossos limites. Parabéns ao Dr. Lucio pelo seu trabalho e dedicação ao assunto. Grande beijo. Erika

  3. Pingback: Música: quando nem ela escapa do estresse «

  4. Pingback: Sociedade: Vitória ou morte? «

  5. Pingback: Convidados do 7em1 na Retrospectiva 2011 «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s