Música: Um bom ano

por Amanda Borges

Enquanto Lady Gaga se empacotava em carne, Arcade Fire era reconhecido como a banda do ano e Mumford and Sons dividia o palco com Bob Dylan. No Brasil, Paul McCartney, Eric Claptom, Pearl Jam e uma lista de outros artistas internacionais fizeram nosso salário ficar curto. O ano foi bom para a música, com o lançamento de um novo Radiohead, Bon Iver e Arctic Monkeys. O Oasis se separou, mas dele nasceu o Beady Eye e o Noel Gallagher’s High Flying Birds – bom para os fãs. PJ Harvey fez tremer a Inglaterra com Let England Shake e o Beirut mostrou suas delicadas composições em The Rip Tide. Poderia fazer uma longa lista de 2011 (é nessas horas que é bom nunca falar de música brasileira. Afinal, onde eu encaixaria Michel Teló?), mas vou ficar com o que, para mim, foi o que mais se destacou.

As maiores surpresas foram:

21 – Adele

Lançamento: janeiro de 2011

Se normalmente sucesso comercial não é sinônimo de qualidade, 21 é uma ótima surpresa e um indicativo de que o ano ia começar bem.

El Camino – The Black Keys

Lançamento: Dezembro de 2011

Quando a maioria das retrospectivas de 2011 já estavam prontas, o duo de Akron, Ohio, lançou o melhor álbum de 2011. Dan Auerbach e Patrick Carney, em parceria com o produtor Danger Mouse, superou todas as expectativas com El Camino. Com uma sonoridade mais trabalhada que os álbuns anteriores – que já eram ótimos -, estão agora sendo aclamados como os salvadores do rock.

Já as maiores decepções do ano ficaram por conta de:

Strokes – Angles

Lançamento: Março de 2011

Sabe quando um casal separado se reúne pelos bons tempos? A idéia parece ótima, mas no final, era melhor ter ficado só na lembrança? O grande retorno do Strokes se deu numa situação parecida. A falta de interação entre os membros é palpável. Destaque só para “Taken for a Fool” – simpática, mas nada que merecesse um retorno.

Lulu – Lou Reed e Mettalica

Lançamento: Outubro de 2011

Um dos CDs mais aguardados veio de uma parceria improvável. O que esperar de uma reunião entre o rei do rock alternativo e os mestres do heavy metal? A crítica e o público foram cruéis, e com razão.

“A very big and horrible noise with lyrics and vocals that completely match”Uncut

“Lulu is a frustratingly noble failure. Audacious to the extreme, but exhaustingly tedious as a result, its few interesting ideas are stretched out beyond the point of utility and pounded into submission– the average song length clocks in at eight excruciating minutes.” – Pichfork

Mas final de ano não o momento só para olhar para trás. Em 2012, tudo indica que os dois nomes abaixo vão dar o que falar:

Lana del Rey

Lançamento previsto para: Janeiro de 2012

No ano em que Adele vai tirar para descanso, tudo indica que essa americana vai conquistar muitos fãs com a voz grave (e os lábios de Angelina Jolie).

Azealia Banks

Lançamento previsto para: sem previsão, mas provavelmente em 2012

Não é o meu estilo de música, mas tenho que reconhecer que o vídeo de 212 me prendeu até o final. O ritmo cativante e a letra desbocada fazem de Banks uma das principais apostas para o ano novo nos sites especializados – e minha.

O que acharam? De quem eu esqueci?

Feliz ano novo!

Anúncios

6 thoughts on “Música: Um bom ano

  1. Eu simplesmente amooooooooooo Adele. A voz dela é linda e a letra das músicas dela realmente são muito boas. Adoro “He wont go”. Comercial ou não, ela fez uma mega sucesso e tomara que ela tenha vindo para ficar. Eu senti falta aqui do Bruno Mars. Ok, não é do naipe da Adele, mas tem umas baladas ‘bonitinhas’..kkk O que estragou foi ele se misturar com o ‘turminha’ do Crepúsculo (eca!), que aliás já foi tema aqui. Mas eu vou dar uma chance para o rapaz se regenerar. Quem sabe em 2012. ashuahushauahuaha. Valeu pelo post, moça!

  2. Não conhecia a Lana Del Rey, achei bem legal. Desses todos, gosto mesmo da Adele! Muito bom o post, várias bandas que eu não conhecia ainda (ando enferrujada pra música =P).

    E ainda bem MESMO que vc não falou do Michel Teló! Eu to traumatizada pq os pedreiros na obra do lado da minha casa escutando Ai se eu te pego TODO DIA, e o pior é que o refrão fica na minha cabeça hahaha

    Depois nego pergunta pq não sou fã de música brasileira…

  3. Gente, e a música do Fiuk com o Jorge Ben Jor? É tipo a do Michel Teló: gruda demaissssssssss…kkk Sinceramente, eu nunca tive preconceito com música brasileira, vivo falando para Amanda escrever um post sobre o assunto, mas essas ‘músicas chicletes’ para colar na cabeça da gente não é nem mau gosto, é que sacanagem msm – a gente canta INVOLUNTARIAMENTE…rsrs

  4. Pingback: Música: Fechado para balanço «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s