Filmes chocólatras

Páscoa é um feriado religioso, mas a gente acaba lembrando do lado engordativo. Por isso, revolvi escrever sobre alguns filmes que celebram o alimento favorito dessa época – o chocolate.

Chocolate, de Lasse Hallström, é um empurrão para qualquer um ceder à tentação da gula. O enredo gira em torno de Vianne Rocher (Juliette Binoche), uma mãe solteira que se muda com a filha para uma pequena cidade no interior da França. A população local é bastante tradicional e muito ligada à igreja. Não à toa, os moradores não aceitam muito bem o estado civil da personagem.

O trabalho de Vianne também é visto com maus olhos. Ela é dona de uma loja de chocolate, que se mantém em funcionamento mesmo na quaresma.  Porém, chocolate é algo tão irresistível que a personagem de Juliette Binoche acaba driblando a resistência inicial. O longa teve bastante êxito de crítica, recebendo, por exemplo,  cinco indicações no Oscar de 2001 inclusive na categoria de melhor filme.

Outro clássico do cinema chocólatra é A Fantástica Fábrica de Chocolate, baseado no livro de Roald Doahl. O próprio Doahl  participou do roteiro da primeira versão  que foi às telas em 1971. A direção ficou por conta de Mel Stuart e coube  Gene Wilder interpretar Willy Wonka, papel que se tornou um dos mais conhecidos da carreira do ator. Muito espectador tem inveja do garoto Charlie (Peter Ostrum), uma das cinco crianças felizardas que ganharam o direito de visitar a fábrica de chocolate de Wonka.

Em 2005, foi a vez Tim Burton impor a sua marca em A Fantástica Fábrica de Chocolate. O olhar de Burton talvez tenha dado um tom mais sombrio e bizarro. Uma das excentricidades ficou  por conta da interpretação de Johnny Depp na pele de Wonka. Muitos dizem que uma das inspirações do astro foi o cantor Michael Jackson. A semelhança realmente existe. Fãs da obra original torceram o nariz para a adaptação de Burton, mas o cineasta até foi fiel à produção anterior. Os inesquecíveis Oompa Loompas, por exemplo, continuaram na trama.

Para os mais românticos, uma opção é a comédia Românticos Anônimos, lançado no Brasil no ano passado. Jean-René (Benoît Poelvoorde) e Angélique (Isabelle Carré) têm duas coisas em comum. Eles são  tímidos e apaixonados por chocolates.  Jean-René é o dono de uma fábrica de doces e ela é a empregada recém-chegada na empresa. A aproximação entre eles é inusitada e bem saborosa.

Já peço logo desculpa caso esse post incentive que alguém saia da dieta. O que importa mesmo é curtir os dias de folga. Boa páscoa e até a próxima semana!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s