Música: De malandros, disciplinados e outros tipos

Friedrich Nietzsche já disse: Sem a música, a vida seria um erro. Mas sem a vida, a música não teria em quê se inspirar. Selecionei algumas canções de Chico Buarque que representam as várias faces do trabalhador brasileiro.

O trabalhador em 1971: Construção

A recessão econômica mundial associada ao período mais duro da ditadura brasileira não poderia resultar numa música otimista. Em Construção, Chico Buarque narra a história de um homem comum, preso nas engrenagens de um trabalho mecânico e mal remunerado. O personagem, submisso e disciplinado, exerce a profissão do momento no país que, apesar da crescente desigualdade social e reduzidos salários, passava por um milagre econômico.

Subiu a construção como se fosse máquina

Sentou pra descansar como se fosse sábado

Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe

Agonizou no meio do passeio público

Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

O trabalhador dos anos 2000: O malandro federal

O malandro “pra valer”, aquele lá da década de 20, deixou de lado a boemia e adotou a cara de pau. Ao contrário do subtítulo, a música Homenagem ao Malandro não foi escrita nos últimos 10 anos. A composição, de 1979, aproveita a imagem dos malandros, que viviam de bicos para se manter num período de exclusão social, para mostrar de forma crítica quem são os malandros do Brasil.

Agora já não é normal, o que dá de malandro

regular profissional, malandro com o aparato de malandro oficial,

malandro candidato a malandro federal,

malandro com retrato na coluna social;

malandro com contrato, com gravata e capital, que nunca se dá mal.

Mas o malandro para valer, não espalha,

aposentou a navalha, tem mulher e filho e tralha e tal.

Dizem as más línguas que ele até trabalha,

Mora lá longe chacoalha, no trem da central

O trabalhador sempre: cadê o dinheiro?

Pedro Pedreiro foi lançada em 1965, mas é atemporal. Acho que muita gente já esperou por um aumento que nunca vem.

Assim pensando o tempo passa e a gente vai ficando prá trás

Esperando, esperando, esperando

Esperando o sol, esperando o trem

Esperando aumento desde o ano passado para o mês que vem

E a sorte grande do bilhete pela federal todo mês

O que acharam? Existem muitas músicas sobre os trabalhadores, que vão desde Carango, do Wilson Simonal, até Office Boy, do Bonde do Rolê. Qual é a preferida de vocês?

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s