São João sem fogueira não é São João

Símbolos comuns em antigas festas pagãs, na tradição católica, as fogueiras foram incorporadas como uma das maiores tradições também nas festas em que se comemora o nascimento de São João Batista, o “santo festeiro”. Reza a lenda que o santo adormece no seu dia, 24 de junho, e que, se ficasse acordado vendo as fogueiras acesas em sua homenagem, não resistiria e desceria à terra. Assim, os fogos de artifício soltados nesta data seriam, inclusive, uma tentativa de acordá-lo. A montagem da fogueira se repete em outras festas joaninas, nos dias de Santo Antônio e de São Pedro, mas em menor proporção.

Com a proximidade deste período, o comércio aquece com a venda de fogueiras montadas, cujos preços variam entre R$30,00 e R$70,00. A Agência Estadual de Meio Ambiente, que realiza a Campanha Madeira Legal, busca combater, especialmente nesta época, o comércio ilegal e a queima de madeiras de espécies nativas – muitas já em extinção –, que podem custar aos vendedores uma multa em torno de R$300,00 por metro de lenha empilhada.

“Brinque o São João sem fogueira nem balão”. Soltar balões não é legal, pois pode prejudicar o meio ambiente, além da saúde em geral – em especial em pessoas com problemas respiratórios –, e já caíram na ilegalidade. Com a fiscalização atual, a queima de fogueiras segue pelo mesmo caminho. Em Campina Grande, na Paraíba, que realiza O Maior São João do Mundo, o poder público já adotou algumas medidas para controlar esta prática e reduzir a emissão de fumaça produzida pela queima da lenha.

Desde 2009, uma lei municipal proíbe a queima de fogueiras em ruas asfaltadas e em locais de até 200 metros de estabelecimentos públicos ou privados de uso coletivo, com uma campanha permanente que se intensifica no período junino. Na capital paraibana, a altura das fogueiras não deve ultrapassar 1 metro, assim como não devem ficar embaixo de árvores ou fiação elétrica.

A regularização é bem-vinda. E é importante ressaltar que existem formas de se manter a tradição sem custos danosos, como o cuidado em escolher corretamente as lenhas para a confecção das fogueiras, com madeiras certificadas, retiradas de área de manejo, como o eucalipto, e em locais credenciados pelos órgãos ambientais. “Acenda a fogueira, mas não apague o verde.”

Quando São João Nasceu (Rui Vieira)

Quando São João nasceu

Santa Ana acendeu

Uma fogueira no terreiro

Não sei a quem compete

Mas o gesto se repete

No Nordeste brasileiro

Repita o simbolismo

Coisa do Cristianismo

Jesus e Nossa Senhora

Mas o desmatamento

Causa constrangimento

A fauna e a flora

E em nome de São João

Não solte mais balão

Faça pequena fogueira

Pergunte ao IBAMA

Não se mata o que se ama

Queime certa a madeira

Não apague o verde

Nem apague a tradição

Não use madeira de lei

Mas aqueça o coração

A natureza agradece

Em nome de São João.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s