Protesto e Disposição em Prol do Meio ambiente

Manifestantes cariocas – em sua maioria, jovens –, saíram às ruas, neste sábado, em protesto contra a destruição de uma área ambiental na Barra da Tijuca. A área, que está sendo desmatada para a construção de um resort, faz parte do bioma da Mata Atlântica, já terrivelmente ameaçado.

De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC), hoje, o município do Rio de Janeiro apresenta 93 Áreas Protegidas, dentre elas: 34 Parques, 26 Áreas de Proteção Ambiental, 3 APARUs, além de outros importantes espaços de proteção ambiental.

As Áreas de Proteção Ambiental – APAs abrigam espécies da fauna e da flora, raras e ameaçadas, sendo criadas, principalmente, com o objetivo de proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais, refletindo-se, inclusive, na qualidade de vida das populações humanas. Essas áreas, entretanto, sofrem ameaça constante, inclusive, por invasão de condomínios residenciais, indústrias e empresas, ainda que os casos não tenham grande destaque na grande mídia por ocorrerem em regiões menores.

Desta vez, um empreendimento projetado na Zona Oeste do Rio, despertou a atenção. A construção de um hotel da rede norte-americana Hyatt em um terreno de aproximadamente 45 mil m², que já pertenceu a Área de Proteção Ambiental da Reserva de Marapendi, na Barra da Tijuca – e que não passou por autorização de um conselho da APA –, fere esse controle do processo de ocupação na região, que é inerente à ordenança desta categoria de proteção ambiental, além de representar mais uma ameaça ao bioma da Mata Atlântica que se estende por esta faixa. O projeto inclui um campo de golfe. É importante lembrar que este bioma, que já ocupou grande da costa brasileira, mantém, hoje, apenas 7% de sua cobertura vegetal preservada, com maior abrangência nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná e Santa Catarina.

Um dos impasses entre os empreendedores e os manifestantes reside no fato de que, em 2005, a área envolvida foi excluída do programa de proteção, por uma lei municipal, que pode ser considerada anticonstitucional se confrontada com a instância federal sobre a preservação destes locais.

O corte das árvores e a desorientação dos bichos que ficaram desalojados com a derrubada chamou a atenção de moradores da área próxima à Praia da Reserva, visitantes do local e ativistas ambientais, o que gerou burburinho nas redes sociais e a criação de um abaixo-assinado online:

(http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=RESMARJA). O assunto culminou em um protesto organizado nas ruas, com cerca de 500 manifestantes, neste último sábado, interditando a Avenida Lúcio Costa, em frente ao canteiro de obras do hotel Grand Hyatt Rio, na orla da Barra.

Até agora, o movimento pela Preservação do Parque do Marapendi e Praia da Reserva, no Facebook, já ultrapassa 1.700 seguidores. http://www.facebook.com/PraiaReserva

Os cariocas engajados pretendem levantar sua bandeira às autoridades e repudiam a posição do prefeito Eduardo Paes, que teria prometido, antes das eleições, preservar regiões arborizadas na região. Ao que tudo indica, vem mais protesto por aí!

                                               2005

                                               2012

Por Jéssica Lauritzen

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s