Argo: a arte imita a vida e a vida imita a arte

argo_poster

Argo, do diretor Ben Affleck, é um exemplo claro de que a realidade muitas vezes é mais incrível do que qualquer criação de um bom roteirista. Se a história do filme fosse inventada, ninguém acreditaria – uma boa dose da loucura da vida real foi necessária para tornar críveis os incidentes presentes na tela.

O filme começa em 1979. O xá do Irã, Reza Pahlevi, era aliado dos americanos e tentara “ocidentalizar” o país, o que não foi bem aceito pelos xiitas islâmicos. Consequentemente, Pahlevi foi deposto, deu início ao governo dos aiatolás (claramente antiamericano) e a embaixada dos Estados Unidos no Irã foi invadida por revoltosos. Vários funcionários viraram reféns e só seriam libertados mais de um ano depois. No entanto, um grupo de seis americanos conseguiu escapar e se refugiou na residência do embaixador canadense. Caso fossem descobertos, eles seriam, com certeza, presos e executados.

Entra em cena a CIA, com várias opções de tentativas de resgate, todas com pequena probabilidade de sucesso. Tony Mendez (interpretado por Ben Affleck) é o especialista em “exfiltração” da agência e concebe um plano arriscado, mas que representa a melhor chance do grupo: ele entraria no Irã, disfarçado como produtor de cinema, à procura de locações para um projeto, e tiraria os seis americanos do país, como membros da “equipe de filmagem”.

Toda a farsa criada por Mendez é mostrada em detalhes pelo filme. O projeto cinematográfico realmente existiu: um longa-metragem de ficção-científica chamado Argo, que pretendia aproveitar as exóticas locações iranianas como paisagem alienígena – uma imitação barata de Star Wars (1977), tão em voga na época. Mendez contatou um produtor de Hollywood, Lester Siegel (Alan Arkin), que organizou um evento para divulgar o projeto. John Chambers (John Goodman), o renomado maquiador de Planeta dos Macacos (1968), faria os efeitos de maquiagem. O filme era de mentira, mas os riscos da operação eram sérios e bastantes reais.

benCom Argo, Ben Affleck segue os passos do seu amigo George Clooney (um dos produtores do projeto) e solidifica seu talento na condução do filme, após os também muito bons Medo da Verdade (2007) e Atração Perigosa (2010). Affleck faz um trabalho seguro e comprova seu status como um dos bons diretores do cinema americano atual. Ele se concentra na história, e a conta de forma exemplar e sem enrolações. De fato, Argo lembra alguns dos grandes filmes dos anos 70.

Argo borra as linhas entre realidade e ficção de maneira muito inteligente. No inicio dos créditos finais, vemos fotos das pessoas reais que passaram por esse evento, e a semelhança delas com suas contrapartes ficcionais é impressionante. Trata-se de um filme sobre um incidente real baseado em uma mentira também cinematográfica, um caso único de arte imitando a vida, que imitou a arte. O inteligente roteiro de Chris Terrio e a direção de Affleck não perdem de vista esse “teatro do absurdo” criado pelas sempre complicadas relações internacionais. E essa acaba sendo a maior qualidade do filme.

Por isso, é uma pena que alguns pequenos problemas diminuam um pouco a experiência. Em determinado momento, o filme cria um desnecessário “draminha” envolvendo Tony Mendez, após a CIA abortar a missão. Ele vai continuar por conta própria? Claro que vai, senão não haveria filme… E alguns incidentes meio artificiais (carros de polícia perseguindo o avião?), que não aconteceram na realidade, representam pontuais momentos de exagero.

Mas são problemas que não atrapalham o filme. Num mundo regido pela intromissão americana de um lado e o extremismo religioso islâmico do outro, situações insanas apresentadas no filme (baseado no livro do próprio Tony Mendez, publicado quando a CIA liberou os arquivos da operação) se tornam possíveis. E a única resposta sensata a uma situação insana como essa é ser mais insano ainda. Talvez por perceber a loucura do seu trabalho e do mundo, Mendez foi capaz de criar uma solução para aquele problema.

argooFicha Técnica:

Título: Argo

Dirigido por: Ben Affleck

Gênero: Suspense/Drama

Ano: 2012

Nacionalidade: EUA

Avaliação: ★★★★  Muito Bom

Ivanildo - assinatura PNG

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s