Meio Ambiente: Cascas, folhas, talos, sementes e raízes – O lixo (orgânico) à mesa retorna

por Jéssica Lauritzen

Imagem do site do Instituto Akatu

Muito se discute sobre o problema do plástico no meio ambiente devido ao enorme tempo de decomposição. Em um ano de vigência da Lei 5.502/09, que desestimula o uso de sacolas plásticas no estado do Rio, a substituição de sacolas descartáveis por bolsas retornáveis nos supermercados já mostra resultado positivo.

Mas, por mais que as pessoas se conscientizem e substituam ou reduzam o uso dessas sacolas, e adquiram estilosas ecobags na hora de fazer as compras, uma pergunta sempre ficou no ar:

Se eu abrir mão do plástico, onde irei depositar meu lixo em casa?

O alternativo plástico biodegradável leva cerca de dois anos para se decompor, além de consumir energia de fonte renovável. Ele depende, porém, de condições específicas para esse processo, envolvendo microorganismos, umidade e temperatura. Caso contrário, pode se tornar pior do que o plástico comum no meio ambiente.

A quantidade de sacolas utilizadas vai de encontro à quantidade de lixo que produzimos. Que tal focarmos a atenção em uma nova pergunta:

Qual a composição do meu lixo, e o que posso fazer para evitar o desperdício?

A matéria orgânica, sempre considerada menos ofensiva ao meio ambiente, não é exatamente a “mocinha da história”. Ela representa boa parte do lixo que descartamos (cerca de 60%), além de produzir o desagradável chorume e lançar gases tóxicos no solo e na atmosfera. Sim, os mesmos gases – Metano (CH4) que, liberados também pelas vacas no pasto, intensificam o aquecimento global.

Curiosidade: Lixo orgânico é transformado em adubo por rede de supermercados no RJ, a partir do descarte de funcionários e clientes.


FAÇA EM CASA:
O responsável e trivial: Acompanhar sempre a validade dos alimentos industrializados e consumir rapidamente os mais perecíveis, evitando o desperdício de jogar fora produtos e alimentos que acabam por estragar.

O criativo e inteligente: Alimentação saudável também contribui para o meio ambiente. As partes consideradas menos “nobres” dos alimentos têm alto valor nutritivo e podem ser reaproveitadas de diversas maneiras. Os restos de alimentos que usamos para cozinhar no dia a dia podem render receitas saborosas e petiscos interessantes.

Da casca do ovo à semente da abóbora, neste link você encontra dicas preciosas de como “garantir uma mesa farta, sem desperdícios”, além de reduzir o problema do lixo.

Anúncios

2 thoughts on “Meio Ambiente: Cascas, folhas, talos, sementes e raízes – O lixo (orgânico) à mesa retorna

  1. Receita de família: cascas de maracujá torradas e moídas podem ser adcionadas à comida, sem alterar o sabor, e são ótimas para combater a diabete!

  2. Muito bom!! Me lembrei de minha infância, quando fritavamos a casca da batata e faziamos piquenique… é uma delicia!!! E aqui em casa o lixo orgânico vira adubo!! Bjim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s