Rebobine, por favor

Imagina alugar um filme e descobrir que a cópia que você levou para casa é uma imitação barata encenada por amadores. Na vida real, isso certamente seria causa de revolta. Na ficção, entretanto, o consumidor aceitou bem a brincadeira. Ao menos foi o que aconteceu em Rebobine, por favor, comédia dirigida por Michel Gondry.

O principal cenário da história é a locadora Be kind rewind, localizada em um bairro pobre de Passaic, em Nova Jersey. O senhor Fletcher (Danny Glover) tem dificuldades para tocar o negócio. Ele só trabalha com VHS e sofre para atrair novos clientes. Além disso, a prefeitura da cidade ameaça derrubar o prédio onde o estabelecimento funciona.

Quem sofre bastante com todos os problemas é Mike (Mos Def), o fiel empregado de Fletcher. Quando o patrão comunica que vai se ausentar por um breve período, Mike promete se empenhar para manter tudo em ordem. E uma importante recomendação lhe foi dada: manter Jerry (Jack Black), seu atrapalhado amigo, longe da Be kind rewind.

O principal temor do senhor Fletcher se torna realidade quando Jerry sofre um acidente bem esquisito com radiação. O personagem de Jack Black fica magnetizado. Por conta disso, ele estraga todo o acervo da locadora. Todas as fitas ficam vazias. Porém, o que parece uma catástrofe se torna a salvação.

Mike e Jerry resolvem fazer versões dos filmes solicitados pelos clientes. Na empreitada, eles contam com a providencial ajuda de Alma (Melonie Diaz), uma vizinha da loja. Além de atuar nas produções, a moça tem ótimo tino comercial e consegue organizar a demanda dos fregueses.

O gosto do público é bem variado. As pessoas querem ver a versões de longas como Robocop, Ghostbusters, Hora do Rush 2, Rei Leão e Conduzindo Miss Daisy. Este último foi pedido da senhora Falewicz (Mia Farrow), uma grande amiga de Fletcher. Os remakes são um prato cheio para as invencionices visuais de Michel Gondry.

O sucesso de Mike, Jerry e Alma é colocado em risco quando executivos de estúdios de Hollywood vão parar na Be kind rewind reclamar da violação do direitos pertencentes às grande produtoras. Novamente, senhor Fletcher se vê em apuros. O pior é que a prefeitura já havia lhe comunicado sobre a data da demolição do prédio. E tal dia está bem próximo

A tentativa de solução vem novamente com cinema. No entanto, agora se trata de um enredo original. A comunidade se empenha em criar uma ficção em torno do lugar onde moram. Todos cooperam na realização deste filme. No fim, talvez Gondry deixe implícita a mensagem que copiar não é o melhor caminho afinal.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s